20 fevereiro 2019

,
Eu não sei porque sempre fico tanto tempo sem participar de uma blogagem coletiva, sendo que adoro esse tipo de post.

Hoje vou participar com um dos temas do grupo United Blogs, que é "minha rotina matinal".


Eu não costumo acordar no mesmo horário todos os dias. Apesar de eu estudar de manhã, cada dia eu entro em um horário diferente na faculdade, e isso faz com que em um dia eu acorde cedo e em outro um pouquinho mais tarde. Mas, em geral, eu costumo sempre me levantar uma hora antes do horário que eu preciso sair de casa.

Ao me levantar, a primeira coisa que faço é ir tomar banho para despertar, se eu não tomar um banho assim que acordar, eu não consigo fazer nada, pois fico meio "zumbi".

Após tomar banho e me trocar, arrumo a cama e arrumo minha bolsa/mochila, colocando as coisas que vou precisar levar comigo durante o dia.


Aliás, esse é um hábito que eu pretendo mudar. Quero começar a deixar minha bolsa pronta já no dia anterior, assim eu fico mais tranquila de manhã. Às vezes não consigo nem deixar o quarto arrumado a noite, pois o cansaço fala mais alto.


Depois é hora do café da manhã. Algumas pessoas dizem que não conseguem comer de manhã, já eu não consigo não comer de manhã. Tomar café da manhã é essencial pra mim, sempre tomo uma xícara enorme de café (que geralmente minha mãe já deixa feito), e como um pão francês com manteiga.

Antes de sair, gosto de passar uma maquiagem no rosto, porque ninguém é obrigado a olhar para a minha cara de morta tão cedo, não é? Gosto de usar delineador, rímel e blush. Esses são os itens que mais amo e uso todos os dias. Quando eu estou com mais disposição, uso até lápis de olho e batom, mas isso raramente acontece.


Depois disso, estou pronta para sair de casa.

Você também tem uma rotina matinal? Compartilha comigo, eu amo saber!




13 fevereiro 2019

,

Oi.

Eu gostaria de dizer que estou bem. E estou. Queria contar pra você algumas coisas:
Eu comecei um blog sabia?! Depois de três tentativas, acho que este vai pra frente (acho!). Realizei vários cursos e meu currículo tá cheio, a faculdade vai bem, irei me formar no ano que vem. Vi que você se formou e começou outra etapa da vida. Parabéns! Aliás, te vi na rua um dia desses, acho que me viu também, percebi que me olhava furtivamente, acho que por curiosidade, pois mudei um pouco. Mas não somente na aparência. Voltei a um eu que não existia contigo. E foi bom. Lembra os textos que eu escrevia pra ti e você nem dava bola? Tem gente que gosta, e são o principal motivo para o blog existir. Voltei a ler, lembra que eu reclamava que não tinha tempo? Acho que gastava demais com você. Os animes que eu amava, estou á ver novamente, acho que me sobra tempo agora.

Aconteceram coisas ruins, que eu queria te falar, mas o querer logo passa. Sua ausência foi dolorosa, até certo ponto, hoje não mais. Sinto falta do amigo que perdi. Não me entenda mal, não me arrependo, era só que eu precisava mais de você, do que você de mim, eu entendo. E tudo bem. Espero que esteja feliz também. E mesmo que haja tanto ainda pra falar... não estou pronta agora.

Até a próxima.

11 fevereiro 2019

,

Faz tempo que eu não faço isso. Sentar e digitar o que eu tô sentindo...mas é justamente para isso que eu criei um cantinho, sabe? Por que estou deixando isso de lado cada vez mais? Hoje li alguns textos tão pessoais que fiquei inspirada em escrever um. Acho que é uma boa forma de tentar expressar o que eu estou sentindo nesse momento que, sinceramente, nem eu sei direito o que é.

Talvez esse post não fique em modo público. Talvez só eu o leia. Mas eu acho que ele pode me ajudar.

Tantas coisas aconteceram em pouco tempo, e eu estou conseguindo lidar tão bem com várias situações. Mas chegou aquele período: o da TPM. Quando você simplesmente não tem controle sobre as suas emoções. Estive pensando em como isso é "engraçado"...esses dias eu estava conversando com minhas amigas pelo nosso grupo de WhatsApp, e grande parte das meninas estavam nesse período de TPM, em um "surto coletivo" todas começaram a desabafar e ficaram emotivas juntas, que coisa louca né? Não a parte de desabafar, claro, mas o fato de quase nenhuma de nós estar conseguindo controlar a emoção.

Eu andei pensando em tantas coisas. Algumas que me motivaram, outras nem tanto. A verdade é que eu acho que sei o que estou fazendo com a minha vida. Acho que tomei o rumo certo, tenho bons objetivos e muita vontade de cumpri-los. Mas tem outras coisas que acontecem que me tiram o chão. Às vezes uma coisinha vira uma "coisona" dentro da minha cabeça e eu fico horas pensando naquilo e brigando comigo mesma e com meus pensamentos por perder tanto tempo pensando em coisas que provavelmente nunca irão acontecer. Às vezes uma pessoa próxima tem uma atitude que me incomoda, mas eu não sei o que fazer. Às vezes eu quero dizer algo, mas não consigo, pois preciso respeitar os mais velhos e sei que se eu disser, não será de um jeito delicado. Às vezes eu tenho vontade de me isolar, só um pouquinho, sabe? Para pensar, para ter privacidade, para ficar em paz comigo mesma, mas parece que não tem como fazer isso.

Às vezes eu fico com tantas coisas aqui dentro, que meu humor lá fora é ruim, e eu não gosto de ser assim. Eu gosto de ser alegre, de fazer palhaçada, de dançar, de brincar. Às vezes a gente precisa pintar. Às vezes a gente precisa dançar. Às vezes a gente precisa escrever. Às vezes a gente precisa falar. Às vezes a gente precisa encontrar uma forma de se expressar. De expressar tudo o que tem dentro, se não a gente se sufoca. Encontre sua maneira e se expresse. Faça isso por você.

08 fevereiro 2019

,
Quem acompanha o Instagram do blog viu a minha saga de organização do quarto utilizando o método KonMari. Depois de organizar tudo eu desapeguei de muitas coisas. Várias delas eu doei, mas outras estavam em um estado tão bacana, que eu decidi vender (afinal, preciso de uma graninha extra).

Foi assim que criei a minha lojinha no Enjoei.


Eu desapeguei de muitas coisas: livros, roupas, sapatos e itens de papelaria. E hoje, eu vim fazer isso mesmo que você está pensando: um jabá da minha própria lojinha.

Ela tem 24 itens à venda, mas eu pretendo colocar mais coisas por lá. Vou mostrar os itens mais bacanudos aqui já com o link direto para o produto.

PS.: Conforme os produtos forem sendo vendidos, eu atualizo esse post.




Esses são alguns produtos que estão a venda. Para ver todos basta você ir no enjoei.com/bruscatovit e visitar o meu perfil completo!

06 fevereiro 2019

,
Olá! Finalmente esse é o meu primeiro post aqui no Cheiro de Pipoca (e espero que venham mais ao decorrer dos anos!). Aqui eu falarei um pouco sobre filmes e séries no ponto de vista de uma amadora.

O filme Crepúsculo fez 10 anos de lançado em 2018 e foi a maior febre na época em que saiu. Havia DVD por todos os cantos, poster, cartaz, adesivo, livros, cadernos e todo o resto. Recentemente eu vi uma onda, mais uma vez, de pessoas falando sobre o filme e acabou me dando vontade de ver, e acredite, eu tenho umas considerações totalmente diferentes porque eu estava há mais ou menos uns 5 anos sem rever o filme. Eu de fato vi o filme com outros olhos, e me arrisco dizer que foi com uma visão bem madura, pois afinal, há 5 anos eu era apenas uma adolescente.



Primeira coisa que eu reparei e que antes eu não dava a mínima é a fotografia do filme, apesar de ser preenchido de cores pálidas e sem emoção, as poucas cores quentes realçavam com grande furor nos momentos que apareciam. Priorizaram bastante o branco e cinza no tom de pele das pessoas e objetos. Os cenários são sempre muito clean e minimalista, e isso me agrada bastante. Nosso olhar fica focado apenas para um ponto da tela e não em todo o quadro.

O jogo de luzes e contraste são bem singelos e bonitos, a ambientação não era tão escura e ainda que houvesse noite, conseguíamos enxergar perfeitamente os atores e o que estavam fazendo. Eu, particularmente, não suporto filmes com fotografia escura.

E eu tenho que confessar: história é boa, mas não nos prende tanto assim. Antes eu achava extremamente romântico, lindo e demais! Eu queria ser a Bella Swan apesar de todo o sofrimento amoroso dela. Claro! Quem não queria ter o Edward Cullen por perto? O bom moço e elegante, que protege de todos os males, faz e dá de tudo para a mocinha só para vê-la feliz...

E com isso também pude perceber que o vampirão que todo mundo amava, não é tão vampirão assim... Nem é porque o coitado brilha no sol, que cá entre nós, isso não tem nada de ruim. Mas sim pelo fato dele ser uma pessoa apática. Eu sou daquelas pessoas que adoram um filme de vampiro, e acho que me deixei ser influenciada pelos vampiros "da moda antiga", que expressam amor, ódio, raiva, excitação, soberba, angústia e toda e qualquer emoção e sentimento possível.

Algo que me chamou muito a atenção foi a doentia atração da Bella para com o Edward e vice-versa. Antes eu via isso como algo normal e romântico, hoje eu vejo como doentio, psicopata e tóxico. O Lua Nova é um dos filmes da saga que mais me repugna, pois vemos isso claramente durante todo o enredo. Tudo muda e nossa visão por filmes muda ainda mais!

Apesar de eu não achar o filme tão bom assim como eu jurava que era, eu tenho grande interesse em ler todos os livros e rever todos os filmes. Eu só li o primeiro livro e nunca mais procurei os outros, e eu nem sei mais o porquê. Provavelmente falarei um pouquinho mais sobre os outros em breve, então aguardem.


Conte-me, como foi a sua relação após ver um filme que admirava e hoje em dia percebe que não é aquilo tudo que achava?
Xoxo, Thamires.